Artrodese

Uma artrodese é uma cirurgia que fixa vértebras vizinhas com uma ponte de osso, mantendo-as alinhadas, estáveis e fortes. Com essa fusão óssea, há o bloqueio definitivo de uma articulação. Portanto, uma articulação rígido-dolorosa em má posição é convertida numa articulação rígido-indolor em boa posição. É um benefício modesto mas essencialmente útil. A dor espinhal é originada em segmentos da coluna onde exista instabilidade, degeneração dos discos ou articulações, ou irritação de nervos, e a eliminação dos movimentos nestes segmentos possa trazer melhora dos sintomas. Uma artrodese pode ser recomendada em casos de espondilolistese, discopatias dolorosas ou hérnia discal recidivante, bem como em casos de trauma e tumores. Na maioria das artrodeses é feita colocação de materiais de fixação, como parafusos de titânio ou espaçadores, para aumentar os índices de sucesso da fusão óssea. Embora a artrodese limite a mobilidade da coluna, a maioria dos pacientes consegue realizar todos os movimentos necessários no dia a dia. Hoje em dia, pode-se utilizar em alguns casos uma técnica de artroplastia, uma cirurgia que apresenta a vantagem de preservar os movimentos da coluna.

 

Fixação dinâmica
Na fixação dinâmica são implantados dispositivos para aliviar as cargas sobre segmentos desgastados da região lombar. A indicação do tipo específico de cirurgia dependerá do caso de cada paciente, sendo julgados vários fatores para se tomar essa decisão. O procedimento cirúrgico mais comum é a microcirurgia para hérnia discal, em que é feita apenas a retirada da hérnia, através de incisões muito pequenas nas costas, usando aparelhagem de vídeo, com a microcirurgia videoendoscópica e recuperação pós-operatória muito rápida.
Neste tipo de fixação, o implante tem o objetivo de normalizar o funcionamento mecânico da coluna, eliminando os sintomas sem comprometer o movimento.

Fixação dinâmica Pedicular
São utlizados alguns tipos de fixadores dinâmicos que se ligam à coluna lombar através de parafusos de titânio. Estes parafusos são conectados a hastes não rígidas, que, dependendo do modelo do fixador, são feitos de material plástico flexível ou de material metálico articulado. A flexibilidade da montagem permite um grau limitado de movimento, que protege o disco e as articulações de excessos de carga mecânica, sem retirar a movimentação.
Estes dispositivos podem ser usados em casos de reoperações de hérnias discais, dor nas costas por degeneração discal, ou mesmo junto com a fixação rígida das artrodeses, em casos bem selecionados.

Fixação dinâmica Inter-espinhosa
Nesta cirurgia, os fixadores dinâmicos utilizados são encaixados entre as partes de trás de duas vértebras vizinhas, chamadas processos espinhosos. Estes dispositivos são de colocação muito simples e segura, minimamente invasivo, e de baixíssimo risco. Como os dispositivos de fixação pedicular, eles também limitam a movimentação dos segmentos desgastados, evitando sobrecarga dos discos e articulações, porém, sua utilização é ainda mais restrita, podendo ser usados em casos bem selecionados de dor dor nas costas por degeneração discal, alguns casos de estenose de canal, ou reoperações de hérnias discais.