Tratamento Clínico

 Inicia-se com tranqüilizantes e/ou antidepressivos, mas existem medicações que também atuam diretamente sobre o sistema simpático, embora com eficácia sempre pequena. Outro tratamento é o uso da toxina botulínica e acupuntura que auxiliam no tratamento de casos específicos.
 
É importante saber que, em todo o mundo já foram tentados inúmeros tratamentos clínicos para a hiperidrose, mas todos eles são paliativos e de efeito temporário ou mesmo nulo.
Apenas o procedimento cirúrgico é considerado definitivo. As opções não-cirúrgicas para o tratamento da hiperidrose são limitadas e incluem:
- tratamentos dermatológicos pela aplicação de soluções ou cremes adstringentes;
- iontoforese (banhos elétricos com água salgada na área afetada), que pode reduzir o suor em áreas específicas, mas apenas por um período de 6 horas a uma semana;
- injeção de toxina da bactéria "Botulinus" (Botox) sob a pele (que pode funcionar de 4 a 6 meses, mas são necessárias cerca de 50 aplicações (injeções) em cada mão e, além disso, o produto é muito caro);
- tratamento psicológico; uso de sedativos ou drogas que diminuem as secreções (que reduzem o rubor facial e as fobias sociais, mas agem muito pouco na hiperidrose - esse fato, acrescido de efeitos colaterais ligados ao uso continuado desses medicamentos, torna-os pouco úteis no tratamento da hiperidrose).

 

Aplicação de Botox

A aplicação da toxina botulínica é intradérmica. O tratamento consiste em cerca de 30 a 40 injeções subcutâneas nas áreas afetadas. Por conta disso por exemplo, nas mãos e axilas são indicadas, aproximadamente, 150 injeções. Além do custo de cada injeção ser elevado, o tratamento é muito doloroso. O Botox funciona bloqueando a transmissão do estímulo nervoso às glândulas sudorípanas. Com isso, a produção de suor fica temporariamente contida. A duração do efeito varia de 4 a 6 meses e sua indicação é aconselhada somente em casos específicos de hiperidrose palmar e axilar. No entanto quase todos os pacientes acabam procurando um tratamento definitivo depois da segunda ou terceira aplicação, por não suportarem a dor das injeções em locais tão sensíveis.

 

Tratamento com o uso de corrente elétrica

Esse tratamento utiliza um aparelho por meio do qual o paciente recebe pequenos choques, diariamente, que não são fáceis de agüentar e que, além disso, causam lesões na pele em pouco tempo. Importante ressaltar que tal equipamento está sendo comercializado como uma grande promessa de solução para os casos de suor excessivo de mãos e pés. Seu efeito não é definitivo.